Quinto Andar

Amanhã é aniversário de Sampa. Hoje trabalhei muito, apesar de ser véspera de feriado. Visitei 8 imóveis em lugares diferentes da cidade e resolvi um problema grave de um cliente que quer cancelar um contrato assinado, assim que cheguei em casa.

Adormeci na rede da sala, sem ver minha caixa de emails. Sem banho. Mas tendo feito a reza que prometi fazer, para que minha querida saia da internação por COVID o quanto antes. Fiz a reza Inteira. Cumpro minhas promessas. Estou com tanto medo que ela morra, mas esta é outra história.

Na semana passada eu fiz uma contestação de pagamento junto ao Quinto Andar porque não achei correto e nem justo ter que dividir minha comissão com um safado de um corretor que caiu de paraquedas no meu atendimento. Pensa que eu estava com o cliente há 40 dias rodando São Paulo, atrás de um apto do gosto dele, e na hora que eu encontrei, que o contrato foi assinado, o “fofo” foi lá e registrou a visita como sendo dele também.

Coisas que você desconhece: Se dois corretores visitam o mesmo imóvel, 80% da comissão fica para o Quinto Andar e 10% para cada um dis envolvidos. Isto não paga a gasolina. Outro detalhe: temos uma régua de bonificação, nos dois primeiros imóveis de cada mês ganhamos 20%, o terceiro e o quarto locados, ganhamos 30% do valor do aluguel e do quinto em diante ganhamos 40%, via de regra. Detalhe: Se acontecer este maldito fifty, o contrato em questão não entra na régua. Você entendeu que você perde muito por não entrar na régua? E que 10% é pouco?

Quem me acompanha sabe que fiquei muito brava com o cliente por ele não ter honrado a palavra dada. Mas mesmo assim, a justiça foi feita e eu estou super agradecida ao pessoal do Quinto Andar que levou à sério minha contestação e me devolveu a dignidade do contrato assinado.

Eu tinha me acostumado com a impunidade no Brasil e mesmo fazendo a contestação achei que fosse dar em nada, como tudo neste país que dependa da justiça, da honestidade e da verdade. Me enganei redondamente e este foi o melhor engano da minha vida inteira.

Ter meu dinheiro de volta e meu negócio incluso na régua, é mais do que o valor monetário em si, muito mais. É ter resgatada a dignidade moída, pela podridão da minha família de origem.

Roubar a própria mãe e a própria sócia, milionária pelo próprio trabalho e suor e deixá-la na miséria, inventando mentiras para fazer deste gesto vil e cruel uma coisa ótima e venerável, foi demais para mim aos 42 anos de idade.

15 anos se passaram e vem o Quinto Andar me dizer em gesto, que a humanidade vale a pena, que ainda existe justiça e que a verdade, sim, prepondera nas relações humanas.

Isto não tem preço. Não tem dinheiro que pague. Esta plataforma de trabalho com imóveis em locação está curando uma ferida em carne vive da minha alma, provinda da experiência que passei com os últimos anos de vida da minha avó, dona da Homeopatia Almeida Prado, que foi traído e cuspida depois de 50 anos administrando e gerindo o maior laboratório de homeopatia do Brasil. Por dinheiro vale tudo, até o Quinto Andar aparecer e se posicionar.

Alguém precisava se posicionar e dar um basta à tantos valores trocados. Ainda bem que eu não morri e estou viva para ter minha dignidade reconhecida e validada. Sim, os filhos de uma puta sempre tentam miná-la. A impunidade faz isto com perfeição.

Ainda bem que eu não desisti de falar a verdade e ser transparente em todas as minhas atitudes. Encontrei no mundo corporativo um respaldo, uma proteção e um espelho. Muito obrigada aos criadores do Quinto Andar e aos funcionários da maior empresa de intermediação de imóveis do Brasil. Eu não sou funcionária, eu sou parceira de vocês. Amo o meu lugar de corretora porque minha liberdade é respeitada e valorizada.

E a partir de hoje saibam que além de amar trabalhar com vocês eu sinto uma profunda e eterna gratidão por vocês serem justos e corretos. Minha gratidão move montanhas e eu não meço esforços para retribuir todo o bem que me fizeram.

Foi por esta mesma gratidão que não permiti que minha avó sofresse mais do que já estava sofrendo com as decepções junto aos seus entes queridos, e a retirei do asilo, a trouxe para minha casa e cuidei dela com toda a honra e pompa que ela merecia. Ela foi a pessoa mais generosa que conheci nesta vida e eu a retribui com tudo o que tive de melhor.

Se pudesse teria devolvido todo o dinheiro roubado também, mas eu não tinha dinheiro. Tinha amor, tinha alegria e esperança para oferecer. Parece que chega uma hora na vida que a gente não precisa mais de dinheiro, a gente precisa de respeito, de amor e de atenção e isto vem do outro espontaneamente. Ou não vem, e a gente que se vire com os recursos emocionais que tem.

Generosidade e Gratidão são inseparáveis.

Minha “nonnina” linda. Minha napolitana. Minha taurina bem humorada. Minha querida, elegante e sempre perfumada avó deve estar se divertindo lá no céu vendo a justiça sobreviver e se fazer, apesar de tudo e todos, aqui na terra.

Obrigada Quinto Andar, minha linhagem e minha nobreza de caráter, agradecem . Que venham mais contratos! A excelência no atendimento aos clientes, pode deixar que eu garanto. Estamos juntos.

Recebi este kit em 26/10/21

Luz

Hoje é aniversário do Miguel Peroza e do Tião Carvalho, duas pessoas muito importante na minha vida até os meus 30 anos. Um é psicoterapeuta e outro é músico e compositor, maranhense.

Aos 30 conheci o Gilberto Safra e o Juan Carlos Somma, ambos professores, um poeta e restaurador e o outro, pintor de ícones. Um foi meu namorado e o outro é meu melhor amigo até hoje.

Quando eu fui pedir para ele rezar por você, ele me disse que já estava rezando. Fiquei encafifada, será que vocês se comunicam? Será que você contou para ele, antes de contar para mim, que estava internada com COVID? Se sim, provavelmente foi ele quem te fez contar para mim, aposto!

Você é tão calada e reservada no whatsapp. Tolinha. A intimidade comigo é inevitável.

Estou amando fazer as orações para você, invoco seu Eu antes de começar. Rezar junto com meu amigo, é mais poderoso ainda. A gente levanta defunto, nas nossas rezas. Ele lá e eu cá. Nos unimos em um só coração, em um só pensamento e a Luz se manifesta infalivelmente. Ele é mais atravessado pelo Amor de Deus do que eu, ele dedicou sua vida a servir à Deus. Eu não.

Mesmo não dedicando minha vida à Ele, explicitamente. Eu sou de Deus. Descobri isto na Itália, aos 21 anos de idade quando fui ocupada pela Luz e sem saber o que estava acontecendo, a única frase que eu conseguia dizer era: “Deus, você sabe sabe que eu não fiz nada de errado, ainda assim eu não sei o que está acontecendo comigo, seja feita a Vossa vontade.”

Às vezes na vida, a gente não tem mais nada a fazer a não ser se entregar completamente nas mãos do Criador e deixá-lo agir. Seguranente ele encontrará a melhor saída. Confiar é fundamental. Ser humilde para receber os desígnios divinos e aceitá-los, também é fundamental.

A vida tem vida própria, não é do jeito que a gente quer e menos ainda do jeito que a gente sonhou. Ela é do jeito dela. Resta-nos deixar fluir.

O Miguel e o Tião me acompanharam de perto quando voltei da Itália. Mas só consegui contar o que houve, anos depois, para o Gilberto e para o Juan, meu professor de I Ching.

Têm movimentos que são inconscientes, desconfio inclusive que tudo nesta vida tenha este teor, mas tem gente que não sabe conversar fora da temporalidade e da linearidade, e com estes a conversa não tem duração ao longo do tempo.

Fiz um churrasco delicioso de frango em pedaços temperado com gengibre e mostarda. Saladinha de pepino com alface e pão de alho para acompanhar.

De manhã assei bolo de chocolate e pães, mas deu errado. Ainda assim, dei um pedaço do bolo de presente para meu vizinho doce. Ficou parecendo um brownie. O pão que quase queimei, ainda não provei. Só amanhã. Inventei de colocar leite em pó na massa e acho que este produto tem açúcar e eu me lasquei porque não estou acostumada a assar pão com açúcar na massa, é outro tempo.

Domingo lindo de sol quente. O melhor lugar do mundo é aqui e agora, disse o poeta. Eu tenho a vida que Deus me deu!

Gosto

Fiz um pouco de tudo o que mais gosto nesta vida, menos namorar porque não tenho com quem.

Trabalhar, nadar, brincar com as crianças na rede, dançar, cantar, rezar e amar. Nesta ordem.

Nem acreditei quando me vi na piscina do clube 2 horas antes das portas se fecharem para o descanso semanal. Sabia que meu fôlego está melhorando cada dia um pouquinho mais? Foi o primeiro dia que não sai da piscina com a pele ardendo de tanto cloro. Acho que nos horário de rush o pessoal joga muito químico na piscina. Insuportável.

Sabia que é obrigatório o banho com sabonete antes de entrar na piscina? Achei tão higiênico. Muita gente. Adoro nadar ali porque tem um monte de gente acima do peso, tanto quanto eu.

Em casa.

Na hora do lanche das crianças, meu vizinho doce fez pão quente com manteiga e elas comeram aqui na minha casa enquanto eu assistia um filme. Elogiei o pai delas e o pão lindo que ele fez. Me trouxeram chocolate branco de presente. Delicioso.

Quando levantei da rede, os dois se jogaram nela, cantando um música que inventaram : ” Balança a gente, por favor!” Repetidas vezes. Eles gargalham alto com o jeito que balanço porque faço uns movimentos que os fazem pular alto e aterrizar na rede. Rimos tanto que até o vizinho doce apareceu na porta rindo, para ver se estava tudo bem.

Eu não sei quem é pior se sou eu ou se são as crianças. Invento um monte de coisas durante a brincadeira. Dançava as músicas do programa do Mion enquanto sacudia as crianças como se fossem pipocas na panela.

Quem me vê de manhã, séria mostrando imóveis para os clientes não imagina que eu seja uma moleca de tarde, com as crianças e uma sacerdotisa de noite, devotada, fazendo orações para minha amada que está internada com COVID. Pedi para ela não morrer, mas isto é com Deus. Só Ele sabe do tempo da gente neste planeta. Terra.

Vou rezar para ela 2 vezes por dia a Sutra para a cura espiritual e em seguida cantar o Canto para contemplar a imagem verdadeira. Hoje foi bonito porque o ambiente ficou imerso em uma luz líquida azul celeste, durante os 30 minutos que rezei.

Tenho certeza que esta luz fluída chegou até ela e a esquentou. A gente adoece porque a alma esfria, com tristezas, aborrecimentos e decepções. Precisamos purificar nossos pensamentos e sentimentos para aquecê-la novamente.

Gosto demais quando alguém pode receber todo o meu Amor e Gratidão em forma de oração, ou em forma de gargalhadas.

Eu aproveito todas as oportunidades que a vida me oferece. Rezar por alguém que se ama é tão importante quanto brincar e fazer alguém sorrir.

“Sua alegria curará sua doença.” disse o sacerdote e poeta japonês, Mestre Masaharu Taniguchi, fundador da Seicho-no-iê.

Nunca leu a Sutra? Então leia. Em voz alta e até o final. “Não há quem adoeça, não há quem sofra, não há quem seja miserável.” É uma experiência mutativa.

Curiosa

Estou me roendo de curiosidade para saber quem é a pessoa que está lendo meus textos antigos, chegando em 58 visualizações até agora.

Ela lê, e eu vou lá ver que texto foi o escolhido, e o releio também. Gosto do que escrevo.. Tem uns textos que me entristecem, outros me fazem refletir e alguns me fazem gargalhar, tamanha a provocação.

Fui até o clube pela manhã mas cheguei atrasada para a natação porque fui com um cliente novo em mais 2 aptos do que ele havia agendado. Resultado: voltei pra casa, almocei em casa e ainda fiz minha siesta, antes de atender mais 4 pessoas de tarde.

Queria que todos os meus dias fossem assim. Me senti na Itália. Pensa que lá a gente comprava o que iria cozinhar, cozinhava, almoçava e ainda dormia um pouquinho, antes de voltar a trabalhar.

Fiz exatamente o mesmo roteiro.

Estou com a porta de casa aberta, deitada na rede, enquanto escrevo, e embasbacada com o tamanho da lua cheia, me olhando. A beleza da natureza me cala. Ser surpreendida por ela, me molha.

Eu sinto tesão frente á Beleza! Eu me encanto com coisas simples que quase ninguém vê. Pensa que a Lua que eu vejo aqui, você vê aí. Isto me encanta. Uma coisa boba se olhada superficialmente..

Mas pensa na ligação que a lua está fazendo entre nós, sem a menor intenção de faze-lo. Não é maravilhoso? Não é um tesão? O fato de não se ter certeza de que tem alguém olhando a lua comigo, também é um tesão.

Eu consegui fazer a meditação shinsokan da Seicho-no-iê antes das 6 da manhã e depois fiz a Sutra do Anjo para o meu anjo da guarda, e isto foi essencial para o tempo se alongar como se alongou hoje. Nem cansada estou.

Eu acordei cedinho porque vi uma luz dourada piscando na minha cabeceira, bem forte. Geralmente vejo luzes em forma de cor Violeta ou Branca quando tem alguém rezando por mim ou quando eu estou rezando para alguém. Mas esta Dourada é novidade. Eu estava dormindo profundamente quando ela me acordou. Piscando.

Meu vizinho doce e seus dois filhotes acabaram de chegar, mostrei a lua linda para eles e ele me sugeriu que eu pintasse a lua que eu estava vendo. Achei boa idéia, mas só no domingo vou conseguir me dedicar ás cores. Amanhã tenho mais clientes e suas buscas por apartamentos.

A filha dele me trouxe um desenho tão lindo, na hora que eu estava dormindo, depois do almoço, acordei assustada mas quando vi a beleza da obra dela, eu agradeci do fundo do meu coração e sorri.

Sim, eu fiz a siesta na rede e com a porta de casa aberta.

Ser acordada, seja pela luz Dourada ou pela menininha pintora, deu um outro tom para o meu dia, mas a curiosidade sobre meu leitor oculto permanece a mesma.

Bolo de chocolate

Consegui voltar para casa a tempo de tomar café com bolo ouvindo as lindas histórias das minhas crianças. Dividi o bolo com elas. Foi um sucesso. Um dos meninos repetiu 4 vezes. Achei tão bonitinho. Um outro passou e me perguntou se eu estava dando bolo e saiu com um pedaço no guardanapo, também. Sobrou uma fatia, ainda. Que saudade eu estava desta farra na porta de casa.

Atendi um cliente apenas, fizemos três visitas e foi ótimo porque não precisei comer na rua e o cliente se fidalizou. Estamos bem perto de encontrar o que ele procura. Estou gostando de receber poucos e bons clientes e se eu conseguir fazer as refeições em casa, vou gostar mais ainda.

Nada me faz mais feliz do que dividir meus quitutes com as crianças da vizinhança. Fazia mais de 3 meses que eu não cozinhava. Claro que rezei pela manhã. Meu dia é bem mais leve quando faço as orações que aprendi na Seicho-no-iê.

Fazer a Sutra e dedicá-la aos meus antepassados faz o tempo cronológico ficar em harmonia com o tempo emocional. E quando algo dá errado, a gente resolve e consegue esperar dar certo, sem se abalar. Parece mágica.

A quantidade de raios e trovões do temporal de ontem, fez um apagão no meu bairro e fiquei sem geladeira e sem tomadas com a energia reduzida. Acendi o fogo do forno com fósforos. Somos dependentes da energia elétrica e nos acostumamos com a vibração dos aparelhos e eletrodomésticos ligados na tomada. Fazem um barulho quase imperceptível..

Na chuva de hoje, tive companhia da pequenina vizinha preferida, que tremia inteira a cada trovoada. Eu não a peguei no colo, só coloquei a mão nas costas dela dizendo que estava tudo bem, e foi o suficiente para que ela aguentasse o medo.

Ela ficou deitada no sofá abraçada com uma almofada até a chuva passar. Eu não saí da rede, enquanto assistíamos desenho na TV. Quanta saudade desta pequena e sua grande presença na minha casa.

Sintonia

Passei o dia no colo. Quieta. No sol. Na chuva. Assei bolo de chocolate e congelei um monte de frutas descascadas para os sucos matinais. Folhas de couve aos montes. Gosto de poder me pegar no colo e parar para respirar, sem ter que dar satisfação dos meus horários para ninguém.

Se eu ficar mais um dia em casa vou pintar aquarela, mas amanhã eu tenho cliente me esperando, hoje tinha também, mas encaminhei um a um. Estava muito aborrecida com eles para poder atender algum.

E não deveria, porque tenho uns clientes que são éticos e honestos, regidos pela transparência, assim como eu sou. Narciso acha feio o que não é espelho, disse o poeta.

Imagina se eu tivesse gerente ou tivesse que trabalhar em uma empresa todos os dias, depois de um aborrecimento profundo. Eu seria despedida, porque hoje eu não iria a lugar algum.

Tinha um pouco de exaustão, além do aborrecimento, também. Na natação, o treinador pediu para que eu nadasse com bastante velocidade, às 18:30h depois de um dia puxado. Eu nadei.

Acho meio burro pedir por uma velocidade excessiva de um movimento e exaurir a pessoa na segunda feira, a ponto dela não conseguir voltar na quarta feira, prefiro o meu jeito. Vou todos os dias na raia livre e nado na velocidade que me diverte quase o dobro do que nado nas aulas com treinador.

Acho esquisito ninguém corrigir os alunos e ter um povo nadando com os pés para fora d’água borbulhando a piscina. Sem contar o barulho que fazem com as mãos “socando” a água. Não é elegante nadar fazendo tanto barulho e espuma. Claro que fui falar para o treinador e ele justificou seus alunos como sendo um pessoal de competição e travessia marítima. Me calei.

Sei lá, minha avó fazia travessia marítima e salvou muita gente se afogando no mar de Ubatuba. Era campeã de natação. Minha família ama uma piscina e uma competição aquática e eu nunca vi ninguém nadar jogando água para fora como se fosse um pato louco. Desconfiei demais da sabedoria daqueles treinadores.

Vou seguir minha toada que além de ser mais elegante, me leva mais longe sem me exaurir.

A faxineira desta semana conseguiu limpar um vidro que ninguém conseguia, fiquei encantada. Sim, o aplicativo cada semana me envia uma faxineira diferente, até eu escolher uma que eu queira fidelizar. Acho que não vou querer exclusividade de nenhuma, toda faxineira tem um lado ótimo e um lado chato. Prefiro não me acostumar com nenhuma. A de ontem era reclamona e maníaca por limpeza. Serviço impecável, mas uma pessoa barulhenta.

Tenho que estar muito inspirada para aguentar tanto barulho. O silêncio me faz bem sempre. A passadeira entendeu isto rapidinho e me conquistou. Não a louca da semana passada que enxarcou toda a minha roupa, mas a caprichosa desta semana.

O ideal para mim é que elas venham de 15 em 15 dias ou uma vez por mês. Porque eu preciso sentir falta da casa limpa para aguentar a presença de uma empregada. Eu sinto o pensamento delas e tem umas que deixam o astral tão pesado que “sujam” o campo magnético. Não adianta faxinar a casa física e sujar a campo astral.

A cozinha se ressente muito com o peso dos pensamentos negativos de uma faxineira. Hoje fiquei transformando-os em luz de amor com o forno aceso. Deu certo.

Preciso voltar a rezar diariamente. Mas na hora da reza já estou no trânsito. Vou arrumar um jeito de rezar dirigindo. Não é o ideal mas é o que temos pra hoje.

Rezar também purifica os outros campos da existência para além do corpo físico. Acredite se quiser, o mês que menos perdi contrato foi o que rezei 2 vezes ao dia com meu amigo. Proteção Divina necessita de sintonia.

Braveza

Não queira me ver brava por conta de algo que considero injusto. Se eu já falo o que sinto e penso normalmente, imagine quando estou indignada.

Uma pessoa que não honra a palavra dada é um verme para mim. Atendi por 40 dias um verme destes que me fez perder mais dinheiro do que ganhei. E o meu dinheiro foi para onde? Para o Quinto Andar, segundo a regra do jogo.

Vermes adoram boicotar regras e fazer o corretores de imóveis de palhaço. Desconfio que eles gozem, sexualmente falando, com isto.

Amanhã é outro dia, novos clientes virão e já sei que não devo atender mais do que 3x um mesmo cliente. Lição aprendida..

Em 3 visitas, depois de virar o site do avesso, todo cliente já sabe o que irá alugar, onde irá alugar e qual o corretor irá comissionar.

Vermes não me alcançarão nunca mais.

Imagine você que fui ameaçada por um verme, ao me dizer que ele iria abrir uma queixa minha no quinto andar se eu não retirasse o que eu disse. Você retirou? Nem eu. Muito pelo contrário, gravei um áudio e repeti em alto e bom tom tudo o que eu havia escrito, para facilitar as provas dele contra mim. “Você não tem honra. Você não honra a palavra dada”.

Sim, tínhamos um combinado, o mesmo combinado que tenho com todos os clientes, ” por favor, visite o mesmo imóvel com o mesmo corretor. Se precisar fazer revisita, chame o mesmo corretor. Nunca aceite outro corretor que não esteja agendado com você. Isto destrói nossa comissão. Você entendeu?” E o verme responde : “Fique tranquila, eu só visito com a senhora, eu gosto do atendimento da senhora e estamos juntos.”

Onde eu errei? Eu acreditei na palavra dele. Eu não imaginava que ele fosse um verme. Perdi uma excelente comissão que salvaria meu mês de fevereiro. Perdi tempo. Dinheiro já falei..

Você me conhece pouco, e não sabe dos meus valores. Mas dinheiro para mim tem origem. Tem o dinheiro bom que me traz alegria e sentimentos de gratidão, e tem o dinheiro ruim que me traz sentimentos densos e vontade de não recebê-lo.

Eu vou doar este dinheiro, que restou da comissão para mim, para uma instituição de caridade. Acho que é o único jeito de transformar uma merda enorme em um adubo fecundo. Não quero a energia do dinheiro deste verme na minha conta corrente. Sinto nojo.

Tive duas fornadas de clientes adoráveis e parceiros, mas esta terceira fornada está bem complicada de se trabalhar.

Promíscua

“Você acha que vai encontrar esta mulher fiel que você sonha? Não existe mulher fiel.” Ela disse. “Se Deus me colocou no mundo e eu sou fiel, certamente há de existir uma outra mulher como eu, para me acompanhar.” respondi.

A promiscuidade corrompe valores éticos. A confiança se esvai pela jugular. Onde você vai sem confiança? Eu? Não vou a lugar algum. Pessoas promíscuas tendem a achar que o outro lado é burro e cego.

Eu te achava tão legal. Tão carinhosa. Tão amorosa comigo. Eu confiava em você e te queria muito bem. Não quero mais. Acabou. Seja feliz com sua esposa de 36 anos de convivência. Vocês combinam, falam a mesma língua. Me deixe em paz para eu encontrar quem comigo se comunique e se identifique. Eu também tenho quem combina comigo e não é você.

Assim como filho não segura relacionamento, sexo também não. Mas credibilidade, correspondência e constância, no meu caso, sim.

Sinto nojo de você. Sinto nojo de mim por ter me deitado com você. Por ter acreditado em você e no seu discurso cafajeste.

A gente se apaixonou uma pela outra, eu jamais negaria isto. Sabe o que eu acho? Que em 36 anos de casada com a Corina você não foi tão feliz como em 3 meses comigo. Se lascou. Bem feito. Vê se pára de pegar as pessoas para fazer de trouxa. Perdeu, mané!

Brasil

“Eu sinto muito por você ter nascido no Brasil e não ter reconhecida a artista que você é”, ele disse. E eu retruquei: “Samir, eu amo a música brasileira, a comida brasileira, o clima do Brasil e a alegria brasileira. Eu amo ser brasileira.” Ele concordou comigo.

Acabei de pensar isto de novo porque com 10 dólares comprei um monte de fruta que me serve por 15 dias. As uvas estão na geladeira. Meu primo me pediu para comprar ameixa para ele. A caixa com 30 unidades grandes custou 1 dólar. Juro. Também está na geladeira. Detesto esta ameixa que tem a casca fininha e bem azeda. Minha família materna sempre amou. Italianos amam também.

Gosto da fartura e da diversidade de frutas em qualquer estação do ano, no Brasil. Pensa que na Europa se vende 1 banana pelo preço da nossa dúzia.

Claro que ter reconhecimento profissional naquilo que nos define, por excelência, teria sido sensacional. Mas acho que ainda está em tempo. No momento oportuno ocuparei meu lugar de artista visual, no mundo. Perdi a pressa. Não sei se isto é bom ou ruim, acho que as polaridades deixaram de ser importante.

O Samir me deu um remédio de Âmbar com Ouro na dinamização 30 do laboratório Sirimin, que também só existe no Brasil, que é mais que maravilhoso. Nunca tomei um remédio que se encaixasse tão profundamente na minha alma, sem conflitos. Abençoada confiança que habita entre a Helena e o Samir. Entre mim e a Helena. Entre Samir e eu. Sim, foi ela que contou para ele que eu sou artista.

Se fosse qualquer outra pessoa contando, ele duvidaria. Mas quando ela fala, ele consente. Eu só tenho a ganhar. Estou sendo cuidada pelos melhores profissionais da antroposofia no Brasil. Sim, eu sei que eles fazem mil paradas no exterior para se alimentarem. Isto só os enriquece. Mas eles vivem no Brasil.

Helena quer que eu volte para a Itália o quanto antes. Minha amiga Terezinha Braga também.

Envelhecer sem dinheiro seja em que lugar do mundo for, é uma bosta. Eu não quero este destino para mim e estou fazendo o impossível para ter uma velhice bem confortável e alegre. Casada, com a mesma pessoa que eu tenha prazer sexual e admiração.

Estou indignidada até agora com a fragmentação do amor. Acho um absurdo eu ter que escrever especificamente o que significa estar casada. Banalizaram tudo, o sexo, o tesão, o respeito, a admiração e o amor que o partner nos inspira. Você acha que não irei encontrar esta pessoa? Sem conflitos. Eu apenas não me caso. Passei metade da vida sozinha, passo a outra metade também.

O mundo é tão grande e com tanta gente, certamente uma boa companhia eu encontrarei para viajar por ele, enquanto a morte não vem.

Não queria morrer depois do Samir e da Helena, mesmo sendo a ordem natural das coisas. Não quero mais ninguém para cuidar de mim além deles. Confiar profundamente ainda é o melhor caminho, seja no Brasil ou bem longe daqui.